Sobre o Ter e o Guardar o que se Tem

Você sabe tudo o que tem dentro do seu guarda-roupa, do armário da cozinha, no móvel da sala, no armário do trabalho, na gaveta do escritório? Não? Nem faz ideia? Bem, o ideal da organização de espaços é saber o que se tem e onde está tudo que se possui. Ao ter esse conhecimento, você não gasta tempo procurando objetos perdidos e tem acesso rápido ao que deseja. E ainda não passa aperto: até com falta de energia à noite, se precisar de algum item específico, irá encontrá-lo.

Você deve estar pensando: mas eu tenho tantas coisas, como me lembrar de tudo? Um dos conceitos da organização se baseia em arrumar objetos que são úteis e importantes para nós, seja porque são produtivos, seja porque temos apego emocional, ou tudo isso junto e ao mesmo tempo.  Se existem objetos dos quais você não se lembra da existência, será que realmente precisa deles? E se você sabe que o item existe, mas não faz ideia de onde o guardou, não sabe nem por onde começar a procurar (faz tempo que não o utiliza!), talvez precise rever seus conceitos do que é realmente importante na sua vida, na sua casa ou no seu ambiente de trabalho!

Você também pode estar pensando: eu sei exatamente onde estão as minhas coisas, eu me acho na minha bagunça. Mas será que suas coisas e a sua “bagunça organizada” estão no lugar adequado? Pois se você encontra tudo o que procura, mas tudo o que procura não está onde deveria estar (exemplos de locais em que estão seus objetos: pilha de coisas no sofá, na mesa da sala ou do escritório, na mesa de jantar, na cadeira, no chão num canto do cômodo, sobre a cama, etc.), você está subutilizando um espaço (sofá, cama, mesa, chão, cadeira, entre outros) que deveria servir para as funções que lhe foram originalmente designadas: sentar, comer, andar, deitar, fazer reunião…).

Uma mesa pode servir de estante? Sim! A cadeira faz as vezes de aparador? Claro! O sofá pode virar armário? Também, se na sua casa/trabalho sobrar mesa, cadeira e sofá e faltar estante e armário. Agora, se não há falta de espaço para acomodar as coisas e elas estão ali porque faltou disposição ou jeito para guardá-las em local mais apropriado, mesmo sabendo onde está tudo… este “onde” está errado. Principalmente se você não mora ou trabalha sozinho, e seus objetos estão invadindo um espaço que também é de uso de outra pessoa.

É falta de respeito e de consideração com o próximo com quem se convive impedir que ele usufrua de alguma área comum porque as suas coisas, que podem  ficar em ambientes mais convenientes, estão ali ocupando um espaço que também é da outra pessoa. E se na casa ou no trabalho não cabe tudo o que você tem, mais um motivo para refletir se todos esses objetos são realmente úteis. Ou procurar soluções alternativas como se mudar para um lugar maior, comprar mais móveis, reorganizar, entre outras possibilidades.

O que realmente não dá é pra ter e não saber que tem nem onde está, tampouco saber o que tem e onde fica, quando esse “onde” incomoda muita gente, quando esse “onde” incomoda, incomoda muito mais.

Música para ajudar na reflexão ;): Arnaldo Antunes e “Nem tudo”.

Comentários...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s