Considerações Sobre o Armário Cápsula

Hoje vou falar sobre a moda na moda: o armário cápsula, uma tendência que vem invadindo os guarda-roupas pelo mundo afora. Para quem não conhece, segue uma breve explicação: essa prática consiste em reorganizar as roupas que você já tem (e comprar poucas coisas que sejam necessárias) para montar um closet compacto que será usado por toda a estação. Então, a cada 3  meses você escolhe um número determinado de peças (que podem ser 37, 40, 33 ou até 17!!) e fica todo esse período somente utilizando essas roupas. Mas, é óbvio que o ideal é que não passe de 50 itens, visto que a proposta é ter e consumir menos.  Nessa conta não entram roupa de dormir, de ficar em casa, de academia e nem acessórios. Mas os sapatos ficam na cápsula, então, não vai dar mais para virar uma centopeia. Outro ponto importante é que as roupas que não são da estação ficam guardadas fora do alcance de visão e serão recuperadas somente quando o clima estiver pedindo e o trimestre já tiver passado.

 Para maiores detalhes dessa prática sugiro os seguintes Blogs: o Unfancy que é da “propagadora da ideia” na atualidade, a Caroline (o inconveniente para alguns é que o site é em inglês) e o Teoria Criativa, no qual a Gabi além de falar sobre o miniarmário mostra as suas escolhas da estação.

Embora já soubesse desse movimento antes, só me interessei em falar sobre ele agora, depois que suas entusiastas já o utilizaram por volta de um ano ou um pouco mais e começaram a ter algum resultado. No geral, as adeptas do movimento dizem que descobriram que podem viver com bem menos do que imaginavam, que se sentem mais felizes agora (e com mais roupa do que antes quando tinha armários lotados) e que tem valido muito a pena fazer a compactação do vestir.

Não tenho dúvida. Conseguir passar três meses usando 37 itens deve ser mesmo comemorado. E acho a Idea de ter um armário-cápsula louvável! Adoraria que o mundo conseguisse reduzir o consumismo em moda a ponto de ter menos e aproveitar melhor o que se tem. Mas é aí que mora o principal defeito, ou o Calcanhar de Aquiles dessa filosofia: ela não é nada fácil de ser colocada em prática.

Para atingir esse grau de ter uma quantidade limitada de peças e passar três meses sem comprar nada a mais para a estação vigente (a não ser que aconteça algum acidente com alguma peça) é preciso ter um autoconhecimento profundo. Saber o que fica bem em você, o que combina com o que, quais cores escolher, sua rotina de atividades em cada época do ano… Se você consegue fazer isso com facilidade e sem precisar de ajuda, não entendo porque tinha um mundo de roupas. Puro consumismo? Talvez.

Para além das das minhas incompreensões, conseguir seguir todas essas diretrizes sem o risco de se perder, se pasteurizar e ficar sem estilo é um grande desafio. Por isso, sugiro que as pessoas que quiserem seguir a tendência façam anteriormente um profundo estudo sobre si mesmas, sobre a sua região (o clima é assim tão definido onde você mora?), sobre a frequência de lavagem de roupa (não dá pra ter 5 blusas no armário de verão se você lava as roupas quinzenalmente), sobre seu local de trabalho (trabalha em um ambiente com ar refrigerado super potente?) entre outras reflexões para poder dar início à empreitada. E desejo muito sucesso e boa sorte. Confesso que também tentarei entrar nessa onda, mas proponho que a sigamos sem paranoia, ok? Vestir-se tem que ser um prazer e não um momento diário de tortura. E não precisamos fazer isso porque está na moda, porque várias pessoas estão fazendo, mas porque simplesmente  esse exercício ajuda e muito nossa compreensão sobre nós mesmas (sendo feito com menos amarras na Consultoria de Imagem), além de melhorar a aparência e organização do nosso guarda-roupa.

Ah e só mais uma coisinha: se a sua ideia é mesmo ter menos e fazer um consumo consciente, coloque na sua cápsula todos aqueles itens considerados “fora da conta”. Pois não vejo sentido em você ter menos roupas de lazer e trabalho e milhares de roupas de dormir, de ir malhar, acessórios, etc. Menos é menos, então já que é pra mudar a forma de encarar o mundo fashion e o consumismo, que tudo o que é de vestir seja em quantidades realmente adequadas a nossa estação, guarda-roupa, bolso e consciência ambiental. Ainda que passe um pouco de 37 😉 .

Para quem prefere vídeos: Querido Click por Nina Paiva.

Comentários...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s